• Falando da experiência pessoal com o GT e outros jogos de corrida!
  • Grupo de campeonatos e amigos de GT
  • Diário de um Piloto, vídeos diversos da série, veja como completar provas, como conseguir troféus e mais!

6 de novembro de 2014

A garagem dos sonhos – parte I

Pense em uma garagem dos sonhos… agora pense em você nela. É mais ou menos essa a sensação ao visitar a Pastore Car Collection aqui onde moro. Nessa ida deu pra entrar num Corvette C6 Z06, um dos carros que certamente está entre os meus favoritos no Gran Turismo 5 em diante, ver bem de perto uma enorme Dodge Ram 2500 Heavy Duty, ouvir a F150 Lightning gritando, sentir o cheiro de um Mustang de 1968 e trocar o nome dos Charger 1970 e atual por Challenger (tá serto, de onde eu misturei os nomes não faço ideia, acredite). Tem ainda o Lobini H1 e até um Pontiac Solstice, entre outros…

 

5 de novembro de 2014

Godzilla a solta em Bento

Já vi vários carros legais aqui em Bento, uma vez anteriormente vi um GT-R, mas no trânsito e eu nunca mais o vi desde então, até que saindo de casa, duas quadras de onde moro, um lindo GT-R estava dando sopa parado. Não ia deixar a oportunidade passar e aqui está ele.

Curioso é que ao passar por ali uma hora e meia depois ele já não estava mais parado ali. Foi “o momento”. Não deu pra pegar o som dessa máquina, mas na minha mente seria algo assim:

 

4 de dezembro de 2013

Porsche 911 Carrera S

Porsche 911 Carrera S - loja

Se existe uma marca de carro que faz falta de verdade no Gran Turismo, ela é a Porsche. As provas de campeonatos com motores boxer ficaram muito mais restritas e não são poucas as máquinas lendárias que a montadora de Stuttgard poderia inserir no simulador. Destaques aos da série Carrera (como o 911 e o GT) e o monstruoso 917K. E, se por um lado, não foi possível jogar com um Porsche, temos a RUF para representar um pouco desses bólidos.

Porsche 911 Carrera S - roda

Este branco 2 portas ano 2012, com disposição 2+2, queima gasolina no seu motor 6 cilindros Boxer de 3.8L para gerar 400cv de potência. Com tração traseira e dotado de câmbio automatizado de 7 marchas, faz de 0 a 100 em 4.1s.

Porsche 911 Carrera S - loja2

Se não dá pra ver um destes no GT, aqui em Bento, entretanto, foi possível chegar bem perto de uma destas máquinas. Quando fui visitar a Ferrari 599 GTB em abril, flagrei alguns carros bacanas que a Pastore tinha a venda, e entre eles havia este Porsche 911 Carrera S branco.

Porsche 911 Carrera S - traseira

O legal de um Porsche desses é que é um super carro, chama atenção das pessoas, mas não é aquela coisa berrante como seria a 599GTB. É um carro que consegue trafegar com certa facilidade nas nossas ruas sem ser que todos fiquem perseguindo. O legal neste, que vi de perto, era que as rodas eram imensas, de 20″, mas olhando em fotos elas parecem mais adequadas ao tamanho dele. A razão de rodas tão grandes são os discos de freio, que vem com toda a sopa de letrinhas  (ABS + EBD + EBA).

Porsche 911 Carrera S

E essa beleza tem teto solar, pra ferrar quem for sentar nos bancos de couro. Caso a temperatura no verão não seja das mais agradáveis, é óbvio que ele tem também ar-condicionado (Digital Dual Zone). Um detalhe chamativo é o sistema de som. Da Bose contando com nada menos que 12 alto falantes.

Porsche 911 Carrera S - lateral1

Porsche 911 Carrera S - interno

E como se vê acima, ele tem trocas de marchas com borboletas, no volante.

Porsche 911 Carrera S - detalhe roda

Porsche 911 Carrera S - detalhe roda 2

É difícil comparar carros desse porte, porque ainda penso no uso diário. E esse carro é sim melhor pra isso que uma Ferrari, por exemplo, porque ele funciona de modo a lhe entregar tudo que tem e ao mesmo tempo em esquecer tudo que teria de fazer. Ele oferece itens de conforto somado a potência. Contar com computador de bordo e piloto automático já é uma coisa bacana, mas a Porsche vai um passo adiante, além de estar equipado com faróis bi-xenon, contar com TCS e ASC para alinhar a resposta do carro a um pé pesado que seria desastroso e oferecer até mesmo sensor de chuva, ele vem com um sistema de som de 445 Watts com direito até a subwoofer.

Na exposição do Veteran Car

E uns meses depois revi esse carro pela última vez durante a exposição do clube de carros antigos aqui de Bento Gonçalves. Ele estava acanhado, no piso inferior, num canto, meio esquecido… e estava aberto.

Porsche 911 Carrera S - Veteran

Porsche 911 Carrera S - exterior

Quem não iria adorar poder pelo menos entrar um pouco num 911, não é mesmo…

Porsche 911 Carrera S - painel

Porsche 911 Carrera S - interior

As fotos eram do meu celular. E como eu dizia, o Porsche não é um carro tão chamativo a ponto de todos estarem impressionados com sua presença. Neste dia, a estrela da festa, no meu ver, era o DMC Delorean  S2 1984 no andar principal, em posição com destaque. Enquanto isso, eu estava curtindo nem que por uns segundos a bordo do 911.

 

15 de setembro de 2013

Cadillac SRX em Bento

No sábado, 14.09, fui até o Parque de Exposições de Bento (Fundaparque) ver a 2ª Exposição Carro Antigo da Região dos Vinhedos. Embora o interesse seja o de ver os carros clássicos (e os futuros clássicos até ’97), vi na saída do estacionamento um utilitário de porte médio que já estava na minha vista tem algumas semanas, sempre pela cidade alta, mas que até agora não tive tempo de parar e ir fotografar.

Cadillac SRX
Parada ao lado do Landau dá uma ótima dimensão do tamanho da SRX

A sorte me sorriu e ela estava bem ali, no meu caminho, então aproveitei para fotografar a SRX.

Cadillac SRX

De largada, por não ser muito ligado em Cadillacs, pensei que se tratava de uma versão mais nova do Escalade.

Cadillac SRX

O SRX é lindo. Este branco que está em Bento é um modelo de segunda geração, ano 2011/2012 provavelmente (pelo desenho da grade dianteira), com um motor V6 que, ou é o  LF1 de 3.0L rendendo cerca de 270cv, ou, melhor ainda se for modelo 2012, o motor LFX 3.6L com 310cv, o mesmo presente no Camaro. De certeza é que ela tem 6 marchas, automática, e dependendo das opções conta com possibilidade de fazer mudanças como se fosse manual, mas controlada eletronicamente.

Cadillac SRX

Cadillac SRX

Entre os itens de conforto e segurança que ela tem, está o comando pela chave, onde se pode além do alarme, acionar/desligar o motor remotamente. E as portas contam com um recurso que só vi presente no Cruze LTZ por aqui, que é a porta travar/destravar com o toque na parte metálica da maçaneta. Por fim, de interessante, está um sensor de presença do dono, já que ela pode ser ligada de longe, somente com um emissor de rádio junto ao corpo ela permite que você (e apenas você) saia com ela por aí, do contrário ela não sai do lugar.

Cadillac SRX

E, mais uma vez, este carro não está presente no Gran Turismo. SUVs e caminhonetes, de modo geral, estão muito mal tratados na série, o que é uma pena, porque ela parece muito interessante.

Cadillac SRX

 

17 de agosto de 2013

Lamborghini Gallardo em Bento

Lamborghini Gallardo Nera

Não há muitos carros que me façam agir histericamente como uma criança ao ver um brinquedo novo na vitrine de uma loja. De todos os carros existentes no mundo, apenas 4 representam a razão de “foda-se o que estou fazendo, eu preciso chegar perto deste carro”. Sabidamente, aos meus amigos, de baixo pra cima nesta escala, o GT-R R35 (embora eu ainda ache o R34 o definitivo, mas não guardo tanta esperança de ver um destes), afinal, Godzilla come Porsches no café da manhã. A terceira posição, que eu ainda não vi pessoalmente, é reservada ao Mazda RX-8, pois um motor rotativo é algo único e, bom, é o único que eu usaria diariamente sem receios. Outro que ainda não vi pessoalmente e que gosto é o Dodge Viper de primeira geração, fase 2, em especial o GTS ’97 (e todos os demais modelos do Viper, até mesmo o novo, mesmo que meio a contra gosto), porque a víbora tem o bote. Mas logo acima do muscle, há o suprassumo dos bólidos com 4 rodas devidamente acolchoadas com pneus generosamente largos com um P Zero escrito na lateral… é óbvio que se trata da Gallardo. Ela é figura carimbada aqui no blog, no Gran Turismo 5 foi meu primeiro carro e a bordo dela já foram mais de 1.300 kms rodados virtualmente, até porque não sou abastado para ter uma destas na minha garagem real. Todos que me conhecem sabem que eu sou fã do touro e não do cavalo empinado.

Lamborghini Gallardo

Admiro muito o estilo e formato das Lamborghinis, mas de todos os seus touros há um cuja canção é perfeita e o formato é perfeito. Tudo nela é o ideal e acho que assim como alguns poucos carros no mundo, ela é definitiva. A Gallardo é, definitivamente, definitiva.

Lamborghini Gallardo

Ela foi o primeiro carro que peguei no GT5 e ainda é meu favorito do jogo (logo ao lado do Mazda RX-8 para passeios). E porque gosto tanto da Lamborghini Gallardo?

É uma razão simples, não é mesmo?!

Lamborghini Gallardo – motor

Havia visto a foto da uma destas algum tempo atrás no perfil de carros exóticos de Bento e uma chama de esperança de vê-la se acendeu, sendo apagada em seguida, porque a foto tinha meses. E eis que ela surge sem aviso, estacionada bem no meu caminho… era a única chance que eu precisava para ver ela de perto. Bem de perto, como as fotos denunciam.

Lamborghini Gallardo Nera

E vi. E não sei como o dono não veio tirar satisfação de um cara fotografando tudo de seu carro.

Lamborghini Gallardo Nera

Ou vai ver, ele tem um desses na garagem e está acostumado com um certo nível de assédio por parte de pessoas que fotografam e admiram seu Nero (referência a cor).

Lamborghini Gallardo Nera

Mas esta Gallardo que vi aqui em Bento não é um modelo comum, aparentemente. Ela é de primeira geração, como se vê pelo corte dos parachoques dianteiro e traseiro, diferente de GT5 que é de segunda geração (mais potente). E note com atenção a pintura com partes em preto fosco, e demais partes pintadas em uma combinação do Nero Serapis e Nero Noctis (este segundo que é o da minha Gallardo no jogo, mais intenso, mais escuro), que se não estou errado é a única combinação de cor disponível deste modelo. Nas rodas as pinças de freio são pintadas em um tom especial de prata e as lanternas são fumê, para fechar com a cor dela. O desenho da roda, com pontas duplas, também fecha com o que imagino.

Lamborghini Gallardo – muito freio

Lamborghini Gallardo

Estes detalhes todos combinam com a Gallardo Nera, de 2006~2007, uma edição especial limitada a 185 unidades feita para exibição com todos estes detalhes combinados para a Paris Motor Show de 2006. Ela é mais rara que a LP 550-2 Balboni, então, essa empoeirada Gallardo pode ser na verdade um exemplar bem raro, ainda mais que a Gallardo 560-4. Melhor que isso, este modelo representa o primeiro modelo da Gallardo em seu auge, logo após algumas melhorias (ela tem uns 20cv a mais que a primeira Gallardo, num total de 510~520cv). E diferente da de GT5, o motor desta é de 5L (a 560-4 tem 5.2L e o 560 é a potência: 560cv).

Lamborghini Gallardo

Lamborghini Gallardo

É um certo ar de exclusividade ainda maior rodar em uma Lamborghini do qual não deve existir nenhuma idêntica na região sul toda. Com um pouco de sorte, um dos poucos exemplares a rodar na América do Sul toda.

Lamborghini Gallardo

Brilhando como nova. Tirando a poeira, claro, que é digna de um carro que não se contenta em estar parado numa garagem esperando um momentinho para dar um passeio. Ela parece ter rodado um tanto desde o último banho.

Lamborghini Gallardo

Por fim, pra conferir e concluir que tudo nela é da edição especial Nera, o interior é em couro preto com costuras em branco. Fechou. Todos os detalhes conferem.

Lamborghini Gallardo

Lamborghini Gallardo

E, bom, vocês viram que eu já estive bem pertinho de uma Ferrari 599 GTB, não?! Pois bem, estive. E como referência, a baby lambo é menor que a Fiorano. Mas ela não é tão menor assim, é bastante larga, mais que a média dos carros que temos nas ruas. Repare que ela estava estacionada normalmente, mas no lado de fora, pra rua, ela estava bem perto da linha limite.

Lamborghini Gallardo

Lamborghini Gallardo

Lamborghini Gallardo

E ela é bem baixinha também, perigosamente baixa para as nossas ruas e estradas. Honestamente não sei como ele passou os quebra molas daqui.

Lamborghini Gallardo

Lamborghini Gallardo

Ah, e o corte do farol, com aquela tampinha logo abaixo, a riqueza de detalhes. O capô minúsculo, é uma obra de arte. O mesmo para as entradas de ar na lateral e em cima da parte traseira. Também olhei outros detalhes, como os limpadores que são de tamanho e ângulo diferentes, ou a tampa de combustível.

Lamborghini Gallardo

Lamborghini Gallardo

E foi assim que me despedi da Lamborghini Gallardo Nera. Espero ver mais alguma vez por aqui!

Lamborghini Gallardo

 

13 de abril de 2013

Ferrari 599 GTB Fiorano em Bento

Em abril do ano passado eu fiz um pequeno book da Ferrari 599 GTB Fiorano, no Gran Turismo 5. Foi um dos poucos que fiz na tentativa de resgatar alguns dos mais belos e interessantes carros da série que, por qualquer razão, acabaram de lado no andamento do jogo. E de lá pra cá, quase um ano se passou, eu jamais pensei que veria ou mesmo entraria numa destas fora do mundo virtual. Como disse um ano atrás, é um dos carros que está acima da média no GT5, mesmo um tanto subestimada para ser uma Ferrari de topo.

Ferrari 599 GTB Fiorano - porta do acompanhante aberta
Interior limpo. Note que há difusores de ar laterais, passando pela porta

Ferrari 599 GTB Fiorano - passagem de ar pra porta

Ferrari 599 GTB Fiorano - traseira
E ali estava ela, estacionada, recepcionando quem olhasse de fora

Não por culpa dela, acontece que quando se chega neste ponto, o próprio jogo não oferece muito espaço pra Fiorano e já surgem modelos de corrida para tirar o brilho destes super carros homologados para a rua. De fato, a origem do nome representa muito a identidade dela… o 599 vem do motor de 6.0L (5.999cc, embora esse valor varie ligeiramente), o GTB do italiano “Grand Tourer Berlinetta”, onde o Grand Tourer (Gran Turismo) possui o significado de carro esportivo de luxo para dirigir longas distâncias e o Berlinetta pelo seu formato ser o coupé de 2 lugares. Fiorano, naturalmente, é o berço dela… é onde fica a fábrica da Ferrari que montou a 599 GTB.

Ferrari 599 GTB Fiorano - porta do motorista
Ok, hora de entrar pela primeira vez numa Ferrari, abrindo a porta da 599 GTB

Ferrari 599 GTB Fiorano - soleira
Soleira dela. Por onde se olhe o nome da marca italiana é sempre visto, em todos os cantos

Como só vi em imagens, vídeos e jogos, nunca tive uma noção exata do tamanho deste carro no mundo real. Meu primeiro choque com a realidade foi ao vislumbrar rapidamente um GT-R R35 e me surpreender com o tamanho da barca… as rodas, enormes se comparadas a de outros carros, quando visualizadas em tela dão uma enganosa sensação de que estes carros são ligeiramente menores do que de fato o são. E é esse prisma que quero passar nesta postagem, especialmente aos que ainda não tiveram a oportunidade de ver algum destes carros ao vivo.

Ferrari 599 GTB Fiorano - entrando nela
Tudo feito para rodar rápido e firme, os bancos seguram bem, mas não são tão confortáveis

Ferrari 599 GTB Fiorano - controles automáticos
Muito dela é automatizado, dos faróis (na esquerda) ao estilo de direção (a direita no volante)

Calçada com rodas de 22″ e pneus de perfil baixo, nas imagens (ou no vídeo) ela parece menor do que de fato é. Isso é um grande engano. No vídeo, quando ela está descendo a rampa, se atente aos carros ao redor, como a belíssima BMW branca, e repare que a 599 GTB consegue ser mais baixa e larga que qualquer carro ao seu redor. Com a baixa altura (1,33m) necessária a estabilidade para cruzar a marca dos 300km/h, ela é mais baixa que um Ká ou Corsa dos antigos (que são ainda menores que os modelos mais recentes) e bastante larga (1,96m), tanto que apenas meio metro a mais na largura frontal dela seriam o comprimento de um Smart Fortwo. Mesmo eu, com 1,84m sou menor deitado na frente da larga 599GTB, que é em torno de 40~50cm mais larga que a média dos carros que temos em nossas ruas. Essa diferença quase não deixou espaço pra ela descer a rampa da loja no vídeo.

Ferrari 599 GTB Fiorano - ajustes do banco
Embora eu tenha achado duro, reconheço que com o ajuste certo deve ser um ótimo banco

Ferrari 599 GTB Fiorano - visão do motorista
Fechado dentro dela, é muito bacana, mas sem ajustar o banco me senti mais baixo que devia

Ferrari 599 GTB Fiorano - console central
Detalhe da base do console, caixa sequencial F1 (acionada por borboletas no volante)

Ferrari 599 GTB Fiorano - pedais
Aposto que este é um ângulo inusitado, os pedais da 599 GTB e os detalhes do acabamento

Pra justificar a imensidão do comprimento dela, escolhi um carro que é chamativo pelo seu tamanho e que certamente é um pouco mais fácil de se ver nas cidades brasileiras. O Hyundai Sonata é um carro um tanto comprido e chamativo, ainda assim, ele é apenas 15,5cm mais longo que a Ferrari 599 GTB e seus 4,665m. E mesmo que ganhe numa direção, o Sonata não é mais largo que ela e consegue ser mais alto. Aos amantes de carros antigos, ela é maior e mais baixa que um Santana antigo! É realmente gradalhona.

Ferrari 599 GTB Fiorano - console
Console, com cd-player discreto e o ar-condicionado dual-zone e, ao fundo, encaixe da chave

O que achei da 599 GTB real

Por fim, é claro que irei deixar minhas impressões gerais sobre ela… o ronco é lindo, demais mesmo… é, provavelmente, um dos pontos altos dela e ao vivo é melhor que no vídeo, pois se sente o ambiente sendo preenchido com ele. É música, pra quem gosta. No Gran Turismo é a minha configuração padrão – sem música de fundo, apenas motor. No jogo, porém, o ronco é um pouco diferente, menos grave e há muito ruído de fundo misturado que não estão presentes no carro que vi de verdade. Como jogo com fones, percebo bem aquele “jjjiiiiiiii” das engrenagens, isso não se percebe no carro real… e enfim percebi que a amplitude de som por faixa de rotação do jogo parece muito menor que no mundo real. É engraçado como ao escutar a subida de rotação no final do vídeo, não me lembrou Gran Turismo, mas sim Need for Speed. Ainda assim, o timbre da gravação do jogo lembra em muito o som dela em médias rotações e, o mais incrível, o ruído do motor de arranque é idêntico. Você pode comparar os dois vídeos, o meu e este:

Ferrari 599 GTB Fiorano - traseira
Normalmente removo as placas, mas nesse caso é quase surreal e tive de compartilhar

Entrar nela, porém, sendo um cara que não tem o tamanho de um jóquei, exigiu um pouco mais de vontade, especialmente quando fui entrar no lado do carona e não tive o volante para me firmar e as alças de se agarrar ficam embaixo, ao lado dos bancos, e não no teto como convencionalmente vemos. As portas não são problema, são grandes, mas ela é bem baixa, mesmo. Apesar da estatura, ela compensa deixando espaço para as pernas, com bastante conforto neste sentido. Você pode se esticar dentro dela, então dá pra perceber que viajar nela seria mais confortável que na maioria dos carros.

Ferrari 599 GTB Fiorano - aileron
Quando estava criando a montagem da capa do blog no facebook reparei nesse corte

Ferrari 599 GTB Fiorano - escape e lanterna de neblina
Dois detalhes pouco observados. O escape mais trabalhado que no GT5 e a lanterna de neblina

Ferrari 599 GTB Fiorano - porta-malas Ferrari 599 GTB Fiorano - porta-malas detalhe
O minúsculo porta-malas, com o equipamento básico e algum espaço para bagagem

Ferrari 599 GTB Fiorano - porta-malas abertura
Este é o dispositivo mais macio do carro. Engenhoso, levanta e suspende a tampa traseira

Com exceção do porta-malas, que é um tanto compacto para um carro que poderia pegar a estrada, e certamente do seu consumo para alimentar o V12 de 6 litros, o único item que me surpreendeu negativamente foram os bancos de couro. Eles são macios ao toque, não tão esticados como se vê em alguns carros por aí, mas são duríssimos para ficar sentado. Parado, até, se pode dizer que é uma boa para a coluna, mas andando não deve ser dos mais confortáveis, especialmente com nosso asfalto minguado e costurado a la brasileira, cheio de relevos, onde a suspensão dura dela (que nem se mexeu para eu entrar, apesar dos meus 110kg) deve castigar um pouco quem for se aventurar a rodar. E é uma curiosidade comprovada pelo pessoal que conversei e que passeou nela, os bancos castigam.

Ferrari 599 GTB Fiorano - Cavallino rampante
O corcel negro empinado que tem na lateral da 599 GTB Fiorano

Ferrari 599 GTB Fiorano - Cavallino
Há também a versão cromada dele, na frente e na traseira. Note que os 2 são idênticos (e eu ali)

Ferrari 599 GTB Fiorano - Ferrari logo
E por fim, claro, os letreiros Ferrari na porta, na traseira… até embaixo é capaz de ter!

Curiosidades, por sinal, que não se vê todos os dias, é que além do porta-malas só abrir com a chave dela presente, o porta-luvas também não se abre sem a presença do controle. Descobri, claro, fuçando como sempre, no melhor estilo criança pequena “olhando” – se bem que diante de uma dessas, só sendo muito frio para não se sentir meio criança. Me deparei com algo inusitado ao tentar abrir o porta-luvas e percebê-lo trancado, como me foi informado em seguida pelo vendedor da loja.

Ferrari 599 GTB Fiorano - Pininfarina Ferrari 599 GTB Fiorano - rodas com adesivo original
Pouco – só 4 mil kms rodados, ainda possui adesivo nas rodas –, mas bem usada, como se constata na única imperfeição vista em sua pintura pelo uso, certamente, com potência integral

Ferrari 599 GTB Fiorano - disco de freio
Nada miúdos, os freios de carbono fazem justificar o uso de rodas tão grandes

Falar da loja, por fim, fui muito bem atendido e tive acesso quase total ao carro (com direito a abrir tudo). Nota 10 o pessoal da Pastore car collection. O acesso só não foi total porque, óbvio, não pude dirigir ela. Mas tudo bem, isso seria mesmo pedir demais depois de filmar, com direito a aceleradas, fotografar tudo quanto quis, entrar, abrir, ver, tocar… excelente experiência, proporcionada, claro, pelo pessoal da loja, que tinha um leque enorme de informações que complementaram a visita, com uma conversa bastante amigável (embora eu não tivesse os 1.35 milhão de reais no bolso). No fim, por conta do horário apertado, saí quase que as pressas, orgulhoso da ergonomia e conforto do meu carro, que não é tão comprido, nem tão baixo e quase nada potente comparado a Ferrari, mesmo que fracionado por litro, mas que me permite passar a buraqueira do asfalto de Bento com pouco ruído, macio e, o ponto central, despercebido.

Ferrari 599 GTB Fiorano - motor

Ferrari 599 GTB Fiorano - motor de lado Ferrari 599 GTB Fiorano - motor 6 litros
Porque eu sei que se você está lendo isso, você gosta de motores, aí está ele

Ferrari 599 GTB Fiorano - ante-bloco
Número do chassis e nome dela no bico, a frente do bloco do motor

Ferrari 599 GTB Fiorano - despedida
E foi exatamente com esta imagem, a última foto, que me despedi da Ferrari 599 GTB Fiorano

A seguir, claro, postagem com outros carrões que estavam lá (e que até fotografei, como a réplica do AC Cobra, mas não posto hoje para não tornar este post maior do que já está) e sobre um pouco mais da Pininfarina, o estúdio que desenhou não apenas a 599 GTB, mas muitos outros carros dos sonhos que existem, e que inclui na lista várias Ferraris, dentre elas a F40 e a Enzo.

Continua

 

11 de julho de 2011

22 de abril de 2010

Mustang GT500 ’66 em Bento

Depois de ter fotografado o Porsche Cayman S, hoje fui agraciado com a visão dessa máquina:

Imag0089

Imag0090

Imag0092

Imag0093

Imag0094

E naturalmente, uma câmera melhor no celular tá começando a fazer falta… imagine se o Mustang 05 já causa um “estrago” onde passa, pense este… me impressionei com a altura do carro, na primeira foto dá pra notar o quão baixo ele é… e a largura generosa dos pneus, também… belíssimo carro…

 

17 de abril de 2010

Navegue pelo blog:
 
 
Gostou do blog? Você pode curtir no Facebook:
 
PSN ID: R4-RobsonB
PSN ID: R4-RobsonB
clique ver mais detalhes do meu perfil na PSN