• Falando da experiência pessoal com o GT e outros jogos de corrida!
  • Grupo de campeonatos e amigos de GT
  • Diário de um Piloto, vídeos diversos da série, veja como completar provas, como conseguir troféus e mais!


18 de setembro de 2013

Diário: Treinando o Desafio X

Volta em Nürburgring com tempo bom

Meus recentes contatos com alguns pilotos, seja os de ponta que já platinaram, seja os mais novos que estão desbravando o prazer que é jogar Gran Turismo 5, eu acabei retomando o desafio contra o Vettel – minha fronteira final pra platina. Lembro que tão logo peguei o Logitech G27 e fui para a pista com o x2010, meu sentimento inicial foi de total pavor. Não fora o bastante meu rendimento por volta ter caído pelo menos 20%, mas também eu não tinha o hábito de guiar o GT5 no volante e a sensação de tocar o RedBull era a de estar permanentemente na ponta dos dedos e dos pés. É um contato visceral mesmo, em que tudo acontece rápido e brutal demais… mas é um veloz diferente do controle, onde o carro parece constantemente escapar do seu comando, para um veloz em que você leva ele para onde quiser, como numa dança.

A falta de costume, em especial quando comparado ao da performance de quando jogava no controle, me faziam por aquele momento achar que eu não estava nem vagamente preparado para o desafio, ainda… e o tempo passou, eu continuei jogando somente no volante desde que o peguei, mas nunca mais levei o Red Bull pra pista até dia 08.09. Agora, retornei ao Desafio X. Se a ânsia em jogar o carro nas curvas me fazia antes tremer e não saber o quanto esperar de resposta, hoje vou com toda calma, tentando encontrar o local de referência adequado para frear, o quanto frear, o girar do volante, quando girar, quanto girar, se a resposta do forcefeedback deve ser aceita ou se devo persistir no volante girado e em dosar o acelerador… e tudo transcorre com mais naturalidade. Nem faz parecer a primeira vez com o G27 que levei não o x2010, mas sim a Gallardo para a pista, a mesma baby lambo que eu tirava fino com o controle, com o volante do amigo Guto em Garopaba foi um baque do forcefeedback no máximo e com todos as assistências desligadas… aquele carro dócil e bobo de guiar, então, ficou pesado. Extremamente pesado. E foi com toda essa diferença que eu compreendi a razão das Ferraris no jogo, tão sem graça no controle, se tornarem carros interessantes no volante, tão fáceis de serem levados ao limite da pista.

No meu caso, a minha experiência pessoal e a transição com o Logitech foi um pouco difícil, mais que do digital pro analógico… e se no controle eu era agressividade pura, e mesmo assim fiz uma volta de ouro em Monza, no volante tive de reaprender e guiar com mais calma, pois era desnecessário me antecipar a reação como antes… e sentir fluir a reação, em tempo real, isso foi algo a me readaptar. E com o tempo, certamente, meu estilo de direção ficou menos a cara do videogame e mais o meu estilo real. Menos rodas dando socos totalmente pros lados e mais isso:

Ou, ainda mais realisticamente, se tornando isso:

O bonito nessas gravações não é por estar guiando de dentro do carro… mas sim por estar guiando e vendo a reação de como seria com o carro de verdade. E é essa a arte do volante.





3 comentários

Faça seu comentário! »

    OI CHEFE, QUERIA SABER UMA COISA DE VC SE FOSSE POSSIVEL, TENHO CORRIDO DE STOCK CAR V8 AQUI DO BRASIL( O THE GAME) E TENHO CORRIDO COM UM LEADERSHIP HIDRAULICO HEHEHEH SERÁ QUE TEM DIFERENÇA SE EU COMPRAR UM G27 , MEU TEMPO VAI BAIXAR, TE AGRADEÇO DESDE JA

    Comentário by Daniel — 26 de setembro de 2013 @ 21:19 PM



    Por hidráulico tu se refere dele centrar sozinho por pressão, sem forcefeedback (FFB)? Eu não joguei o Stock Car, então não sei se ele dá retorno pelo FFB, especialmente em caso de colisões, como ocorre o GT5. O que acontece, e eu já tive um volante da Leadership, é que ele responde pro pc como um controle genérico comum, não bem como um volante, então há bem menos precisão e o retorno do jogo pro volante é nulo. Então, de baixar o tempo eu não garanto, mas certamente a sua sensação ao estar guiando o carro com o G27 (ou mesmo um Driving Force GT) seria bem maior e, partindo dessa diferença sim, você com o tempo pode melhorar seu desempenho dentro do jogo.

    Comentário by RobsonB — 27 de setembro de 2013 @ 08:03 AM



    […] Foi apenas recentemente, neste último mês, com o contato que tive com uma galera dias atrás, que fui meter a cara novamente no X2010 com vontade de realmente sobrepor as duas provas do Desafio X que restavam para serem dominadas. […]

    Pingback by Blog RobsonB » Platinei o meu Gran Turismo 5 — 30 de setembro de 2013 @ 23:46 PM



Você pode seguir as respostas deste post pelo feed RSS 2.0
 

Navegue pelo blog:
 
 
Gostou do blog? Você pode curtir no Facebook:
 
PSN ID: R4-RobsonB
PSN ID: R4-RobsonB
clique ver mais detalhes do meu perfil na PSN